Arquivo anual: 2016























  Percebo há anos que certas canções me levam a diferentes momentos de minha vida. Então comecei a escrever sobre esses instantes. Roma me conduziu a Mensagem, cantada por Isaura Garcia. Primas solteironas de Araraquara me eram lembradas por Valsinha. Amado Mio, canção que Rita Hayworth canta no filme Gilda […]

SOLIDÃO NO FUNDO DA AGULHA


  Depois de ter lançado O menino que vendia palavras, a editora me chamou: “vamos continuar? Pergunte à sua primeira professora (ainda viva até hoje, bem velhinha) como você era e escreva”. A professora disse: “você me perturbava, só perguntava, perguntava”. Mas acrescentou: “perguntar é bom, faz você entender a […]

O MENINO QUE PERGUNTAVA *_*















  Este policial às avessas tem um subtítulo que reflete o Brasil de hoje: “Sacanas honestos jogam limpo jogos sujos”. Ironias em um romance cheio de incertezas. Manuela, mulher de um milionário, é morta numa cidade do interior. Não há ninguém honesto, todos são corruptos, as investigações são obstruídas. O […]

O ANJO DO ADEUS



  Nos finais de tarde, no interior, as mães vinham aos portões e chamavam seus filhos que brincavam nas ruas. Daí o título desta antologia de textos reunidos na coleção Grandes Cronistas Brasileiros, pelo extinto Clube do Livro. Visões, sensações, nostalgias, observação do cotidiano, humor, sarcasmo, drama, personagens pitorescos que […]

A RUA DE NOMES NO AR



  Este livro teve primeiro o titulo “O Ganhador”. O autor decidiu mudá-lo em 2003. Através de um cantor e compositor que não tem um braço e percorre o Brasil vencendo pequenos festivais de música, o leitor tem um retrato interno deste país em tempos mais amenos. Pela primeira vez […]

NOITE INCLINADA


  Um dos livros mais vendidos e adotados. Escrito primeiro em forma de carta para explicar aos seus filhos o que era meio ambiente e ecologia, foi depois desenvolvido de forma leve e agradável, tomando o formato de uma cartilha sobre o assunto. Com informações sobre a água, o código […]

MANIFESTO VERDE


  Breno assusta-se quando termina a relação. Sem compreender, parte para Berlim com uma bolsa cultural. Esperava, à distância, compreender uma separação. Dali vê o Brasil com outro olhar, começa a avaliar, ao mesmo tempo em que se corresponde com Ana, que o questiona como homem, sedutor, machista. Ele então […]

O BEIJO NÃO VEM DA BOCA



  Entre 1961 e 1989, Berlim Ocidental foi rodeada pelo Muro erguido pela Alemanha Oriental. O autor viveu dois anos nesta cidade e conta como era a vida ali, a síndrome do Muro, a cidade louca das passeatas políticas, feministas, gays, lésbicas, pacifistas. O intenso movimento cultural, música da clássica, […]

O VERDE VIOLENTOU O MURO


  Dos meus maiores sucessos. História passada no futuro (mas tudo já está acontecendo). Uma São Paulo sem água e sem árvores (aliás, cortaram todas as árvores do Brasil). Sol que mata, calor intenso. Violência. O Amazonas é um deserto, oitava maravilha do mundo. O caos numa cidade gradeada, povoada […]

NÃO VERÁS PAÍS NENHUM


  Encontra-se neste livro um de meus contos favoritos pela sensualidade e poesia, “Obscenidades para uma dona de casa”, que chegou a ser proibido em certas escolas. História de uma dona de casa solitária que começa a receber cartas pornográficas e sua vida muda. Também predileto é “45 encontros com […]

CABEÇAS DE SEGUNDA-FEIRA





  São 38 contos dos mais instigantes, em um livro bastante procurado pelos jovens dado o fantástico das situações: homens que querem eliminar a memória.  Escrevi como metáforas, porque a censura estava vigilante, principalmente depois da proibição de Zero. Pessoas que atravessam vidros. Pessoas que se transformam em barbantes. Lagartos […]

CADEIRAS PROIBIDAS



  Ficção baseada em uma história real. Um homem enlouquece por não ter coragem de se arriscar em busca de seus sonhos. Este é meu livro favorito. O personagem principal, para fugir de sua neurose, escreve fábulas fantásticas em torno do comportamento das pessoas. Há quem mergulhe na piscina e […]

DENTES AO SOL